A Medicina integrativa.

nascer do sol

Com a licença e permissão da amiga e blogueira Ana Saad, publico aqui no Revolução da Consciência um post muito importante para o momento em que vivemos sobre Medicina integrativa. O autor do post é o Prof. Dr. Claudio Duarte que com maestria e simplicidade escreve sobre este tema que é  o ponto de partida deste blog e que muitos ainda têm dúvidas. O post foi publicado originalmente no site Pensamentos Filmados, cujo link deixo para os leitores e recomendo a leitura deste blog que é tudo de bom.

http://www.pensamentosfilmados.com.br/br/geral/blog/voce-e-ser-humano-entao-voce-tem-que-conhece-la/#.UNf7lOTZYxj

Sem mais delongas deixo com vocês este post imperdível. Abraços e boa leitura.

Ana Maria Saad

Você é ser humano? Então você tem que conhecê-la!

Ficamos tão concentrados na nossa vidinha que esquecemos que as coisas estão sempre evoluindo. A medicina está evoluindo muito e há uma nova proposta para se ter saúde, ao invés de apenas tratar das doenças, que a menos que a gente saiba a respeito, nos privaremos de ter acesso a tratamentos que combinados nos auxiliam no bem estar. O prof. Dr. Claudio Duarte vem trilhando esse caminho de disseminar informação a respeito da Medicina Integrativa.
Se você ficar com preguiça de ler, então leia as partes sublinhadas.
Por Prof. Dr. Claudio Duarte
Informações úteis e necessárias
Em relação às normas da Medicina Integrativa e seus conteúdos, na Portaria 971/06, do Ministério da Saúde, lemos que o “Ministério da Saúde”, entende que as práticas integrativas e complementares, compreendem o universo de abordagens denominadas pela OMS de Medicina Tradicional e Complementar/Alternativa – MT/MCA (sic). E, além da Lei Federal 8080/00 e da Portaria, há uma série de leis estaduais municipais e NRs, de implantação e implementação das ações e serviços relativos às práticas das medicinas integrativas e complementares, voltadas para a melhoria e os benefícios da saúde da sociedade civil no país. E, em muitos estados e municipios, tais tratamentos e procedimentos já são adotados com sucesso nos últimos anos. Mas, com informações precisas e seguras, tais benefícios podem chegar a um leque muito maior da população, inclusive, reduzindo sensivelmente o rombo da Previdência Social e mudando velhos e viciados parâmetros de “tratamentos” .
O que é a Medicina Integrativa?
A medicina integrativa é um conceito recente, surgido nos anos de 1980 e, também, uma proposta e um conjunto de projetos mundiais, inclusive cursos acadêmicos, que se fortaleceu no Oriente e no Ocidente, à medida que atendia e atende, de forma científica e metodológica tanto as necessidades de saúde, quanto de cura da população global. A Medicina Integrativa traz no seu conteúdo, a junção criteriosa e metodológica, da medicina tradicional, da medicina ayurvédica, da medicina chinesa, do Yoga, da acupuntura, da psicologia, da homeopatia, da nutrição, da fonologia, de diversas terapias reconhecidas, em uma ampla e séria relação de parceria, onde leva a sociedade civil no seu conjunto, uma condição de saúde somatológica e biológica, mais justa, mais equilibrada, mais acessível e, acima de tudo, mais saudável. E apoiada em programas e projetos, sejam propedêuticos ou terapêuticos, com base em históricos ou em diagnósticos extensivos, não só dos pacientes, mas – sempre que possível – também dos familiares, e se for o caso, até mesmo do entorno profissional ou social dos mesmos.
Motivos para procurar a Medicina Integrativa
Além de todos os motivos acima esclarecidos, os outros são:
a) Um atendimento fortemente humanizado, com total atenção para o ser humano e sua autoestima.
b) O baixo custo e os excelentes resultados – já comprovados – advindos dos tratamentos por meio da Medicina Integrativa.
c) E, ainda, pelo fato dos interessados não terem que esperar longos períodos para serem atendidos.
Como obter informações seguras
Para que tanto a sociedade, os interessados, profissionais, pesquisadores, estudantes, universidades, faculdades, clínicas, hospitais, empresas, políticos e governantes possam saber mais a respeito da fundamentação científica e metodológica, dos princípios e das bases da Medicina Integrativa, além da longa lista de livros científicos ou para-científicos, sites e filmes publicados, continuo aqui, descrevendo uma série de outras informações, que seguramente ajudam e ajudarão a todos aqueles que quiserem se beneficiar com todo amplo espectro da mesma.
E também, foi criado há dois anos, o NÚCLEO NACIONAL DE MEDICINA INTEGRATIVA, que é composto por uma série de profissionais das mais diferentes áreas da saúde e que continua agregando novos profissionais ou pesquisadores interessados em fazer parte do mesmo, em qualquer ponto do país, pois esta é uma das vias para se consolidar todo este processo no mesmo e trazer benefícios concretos à sociedade e à população em todos os seus substratos.
Um dos e-mails para contatos é o: mi@damulticom.com.br que fica à inteira disposição de todos, e onde também, é possível solicitar outros dados, outras informações, outras referências.
Apelo à Saúde Integral
Como profissional da saúde e do Yoga, participei, organizei e continuo organizando cursos, conferências, congressos, workshops e eventos no país e no exterior, que possam aprofundar, não só o conhecimento dos profissionais, mas também levar informações sólidas sobre a saúde à sociedade como um todo. Para que esta, possa efetivamente obter benefícios de uma forma segura, simples, direta e se possível, fácil.
Conversei e entrevistei muitos profissionais sérios, competentes e fantásticos, conversei e entrevistei muitas pessoas que ao longo do tempo se beneficiaram dos tratamentos para a saúde, por meio da Medicina Integrativa.
Também, encontrei uma vasta literatura de publicações científicas e para-científicas de primeira qualidade, a respeito do tema. E tudo isto, só nos encoraja fortemente a seguir adiante com este trabalho, esta proposta e este projeto magistral! Mas também precisamos do apoio da sociedade e do seu especial apoio, no sentido de ampliar, de expandir esta tranformadora nova e antiga ciência. Portanto, caso compartilhem desta visão e desta proposta, por favor, tirem cópias desta matéria e distribuam,   escaneiem e enviem por e-mail, transmitam partes pelo twitter, publiquem-na nos seus sites e divulguem-na de todas as formas possíveis. Pois, unidos, podemos sim transformar o mundo em um lugar muito melhor e mais saudável para todos! Até a próxima.
Respeitosamente,
Prof. Dr. Claudio Duarte
Unesco Member e Secretário Executivo da Pacy Internacional/Colegiado
PS: Aguardem, pois em breve estará acontecendo a nova versão do “Seminario Nacional de Medicina Integrativa” em São Paulo e no Rio de Janeiro. Contatos:mi@damulticom.com.br
Fonte: Jornal Saúde e Harmonia

©Todos os direitos reservados.

Fotos: Reprodução.

V

Renovação.

A natureza, mestra que é, enche-nos de preciosas lições,  além de sermos conectados e fazermos parte da mesma. As estações do ano e as mudanças causadas geradas no ambiente são uma fonte muito rica de aprendizado.

As alterações na luminosidade, nas estações mais definidas no Brasil, como o verão e o inverno mudam bastante o nosso dia a dia. No verão o dia dura mais do que a noite, justamente por haver mais luminosidade em tal período. Ocorre o inverso no inverno. O dia é mais curto, anoitece mais rápido.

E tudo isso foi observado de forma bastante acurada pelos povos orientais e essa inter-relação entre homem e natureza é explicada de forma detalhada nos escritos da Medicina Tradicional Chinesa (M.T.C.). Pela Medicina Chinesa, o homem é visto como um pequeno universo, tendo também suas estações, e períodos de expansão e recolhimento, etc.

Para ilustrar, podemos comparar o verão com sua luminosidade e calor abundantes, convidando à extroversão, à expansão. No inverno, com dias mais chuvosos e enevoados, o movimento é de recolhimento, introspecção. E isso acontece na natureza e no homem. Então, a conexão, o alinhamento do homem com os ritmos da natureza é, certamente, uma forma de prática de saúde.

Muitas vezes nas nossas vidas passamos por situações, momentos em que precisamos fazer esses movimentos de expansão e recolhimento. Determinada situação pode nos abater, abalar nosso estado emocional. E podemos tentar lutar contra isso, pois há uma regra tácita que “temos que ser fortes, não demonstrar fraqueza”.

Mas isso em vez de nos ajudar pode nos enterrar ainda mais. Recolher-nos diante de uma adversidade ou um momento difícil não quer dizer que não estamos enfrentando ou que estamos sendo “derrotados”. Parar frente a um momento difícil é, às vezes, a melhor atitude. Assim podemos entrar em contato com nossa força interna e assimilar o que nos ocorreu. Negar a situação não irá fazê-la sumir.

Como também sucumbir perante ela não parece ser a melhor estratégia. O ato de nos recolher, procurar um amigo, um terapeuta, ou nos conectar com o que seja o sagrado para nós pode ser uma boa opção. Cada um sabe de si. E não há pessoa que nos conheça melhor do que nós mesmos.

Ir a um ambiente natural, como um parque, o verde, observar as estrelas á noite também é uma prática muito saudável. Ficar em silêncio e sentir o vento na face é maravilhoso. Isso nos conecta à natureza, que por sua vez ativa a nossa força interior.

O verde, as plantas, o som da natureza, como o dos pássaros traz uma calma interior e é uma receita muita boa para casos de esgotamento nervoso.

O relaxamento é um ato de permissão. Se alguém se forçar a relaxar, dificilmente conseguirá. Podemos convidar a calma, a paz, mesmo se naquele momento estivermos abalados. Um modo imediato de nos acalmar é através da respiração consciente, como já foi divulgado em vários posts aqui do blog. A respiração e estado emocional estão intimamente ligados. E isso não é questão de fé, é fisiológico e já reconhecido pela Ciência.

Nossas células se renovam, nosso cabelo, nossas unhas. A cada respiração o oxigênio é renovado, só pra dar alguns exemplos. Então penso que isso seja uma mensagem da vida para que abramos um espaço também na administração de nossas experiências para a renovação.

Se fizermos exercícios respiratórios, uma atividade física, nossa saúde é fortalecida. A musculatura se desenvolve, a postura melhora, nosso humor melhora. Então isso nos mostra que tudo pode ser melhorado, ou seja, um grande princípio que rege tudo é a evolução. Mas para que isso ocorra é preciso um ato de vontade, determinação e disciplina.

Então, assim como nosso corpo renova nossas células, porque não podemos renovar nossas posturas perante a vida, as adversidades? Se em vez de mantermos posições rígidas a respeito de nós mesmos, dos outros, porque não experimentarmos vermos as situações por um outro prisma?

Todos sofremos perdas. Todos temos desafios. A questão que pesa no que tange à saúde é como lidamos com essas perdas e desafios. Será que não estamos dando uma carga de drama e negativismo em excesso a estas situações e tornando o fardo ainda maior? Será que não podemos tentar ao menos nos dar uma chance?

Ás vezes o importante não é as respostas que temos em mente. Mas sim fazer novas perguntas e se entregar ao rio da vida. E seguir seu fluxo.

Sérgio Paffer.

Proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo sem o consentimento do autor. É livre o compartilhamento desde que citada a fonte. Todos os direitos reservados.

Fotos: reprodução.

As bolas de Baoding.

    Há um exercício chinês com as mãos, utilizando bolas de aço, que pode ser realizado praticamente por qualquer pessoa, a não ser quando houver uma contra-indicação médica a respeito. Nos Estados Unidos recebeu o nome de bolas da saúde.

    Estas bolas podem ser encontradas em lojas de produtos chineses ou de artigos naturais, e têm um preço relativamente baixo, face aos benefícios que o uso regular das mesmas trazem às pessoas.

    Elas funcionam através do estímulo da circulação de energia e sangue pelo corpo, desenvolvem os músculos das mãos, dentre vários benefícios que iremos enumerar.

    As mãos, tal como os pés, são consideradas pela Medicina Chinesa como dois corações. Elas impulsionam a energia pelos seis meridianos do braço que começam ou terminam nas mãos. Assim são os meridianos do Pulmão, Circulação/Sexo e Coração pela face palmar dos membros superiores. Já os meridianos do Intestino Grosso, Triplo Aquecedor e Intestino Delgado localizam-se na face dorsal dos membros superiores.

    Estes seis meridianos constituem um conjunto energético e influenciam-se mutuamente. Toda estimulação, principalmente por meio da prática com as bolas, de determinados pontos destes meridianos, intensifica a circulação da energia vital. Essa intensificação equilibra os pólos biológicos (yin/yang) dessa energia e coloca uma ordenação no metabolismo do corpo em geral.

    Toda estimulação da circulação sanguínea nas mãos, através deste exercício das bolas, leva sempre à estimulação da dinâmica do sangue no corpo inteiro.

    A Medicina Tradicional Chinesa (M.T.C.) afirma que as palmas das mãos têm relação com o coração, principalmente através dos meridianos do Coração e da Circulação/Sexo.

    Agir sobre as palmas das mãos elimina o cansaço físico e nervoso, a sensação de esgotamento e a agitação.

    Pela estimulação do meridiano do Intestino Grosso e do Intestino Delgado, a estimulação das mãos permite atuar na má digestão.

    Execução:

                   Coloque as bolas em uma das mãos e gire-as tanto no sentido horário como anti-horário. Usa-se pequenos impulsos com os dedos e com os músculos da palma da mão. Fazendo girar as bolas, deve-se evitar cuidadosamente sacudir os braços para movê-las. Somente a mão deve intervir e os movimentos circulares devem ser os mais precisos e regulares possível, mobilizando assim inteiramente a sua atenção.

     Todo exercício deve durar pelo menos três minutos em cada mão. Quando comprar as bolas deve-se procurar a opção de acordo com o tamanho da sua mão.

    A origem destas bolas é em Baoding, onde hoje as bolas fazem parte do treinamento das artes marciais.

   Outros benefícios desta prática: – prevenir a paralisia 

                                                          nos braços;

                                                      – procura remediar a fraqueza 

                                                         nas mãos e braços;

                                                      – melhora a destreza e a 

                                                        qualidade dos movimentos

                                                         dos dedos, punhos e cotove-

                                                         los, assim como dos ombros;

                                                        - contribui na prevenção e

                                                           tratamento do tremor das

                                                            mãos, artrite nas articula-

                                                            ções das mãos e pulso, mãos

                                                             frias, o adormecimento nos dedos, a

                                                             cãibra do escritor.

 

                                                              

                       ©Todos os direitos reservados.

                      Proibida a reprodução sem autorização

                       Do autor. Permitido o compartilhamento

                       desde que citada a fonte.

                       

                         Fotos: Reprodução.

                            Bibliografia Consultada: Exercícios Chineses de Saúde para 

                            pessoas idosas. L. Landsman. Editora: Organização Andrei

                             Editora Ltda.                     

                            

                                                      

Qi Gong – parte 2.

  Existem milhares de tipos de Qi gong. Em muitas deles o corpo permanece imóvel quando visto exteriormente, mas internamente o fluxo energético pode ser bastante intenso, daí o motivo pelo qual esses exercícios são também conhecidos pelo nome Neigong (exercícios ou práticas interiores).

    Outra divisão que também  feita é a que o classifica em duas categorias: o Qi Gong dinâmico (que envolve movimentos) e o Qi Gong quiescente (que aborda mais exercícios em repouso).

    AS TRÊS CORREÇÕES INTENCIONAIS

    São a base e alicerce de todo ritual do Qi Gong e do Tai Chi. São medidas simples e acessíveis que pode começar a praticá-las sem nem sequer deixar o local em que se está.

    AS TRÊS CORREÇÕES INTENCIONAIS

    – Ajuste e regule a postura corporal ou os seus movimentos.

    – Ajuste e regule a respiração.

    – Ajuste e regule a consciência.

    Para respirar fundo, você precisa ajustar a sua postura. Para ajustar a postura, é bom respirar fundo. Depois que você ajusta a postura e a respiração, fica natural relaxar e clarear a mente/consciência. Nas milhares de práticas do Qi Gong, incluindo todos os estilos de Tai Chi e até mesmo o Yoga, as Três Correções Intencionais são constantemente repetidas, a todo momento.

    Quando alinhamos nossa postura com as posturas adotadas no Qi Gong, damos um espaço suficiente para que nossos órgãos internos funcionem melhor. A postura relaxada e ereta, corrige determinados desvios posturais ocasionados por tensões, emoções bloqueadas, e até por simples maus hábitos.  Assim, nossos pulmões poderão captar mais oxigênio, a digestão ficará melhorada, etc.  O fluxo de sangue e energia será otimizado, beneficiando todo os órgãos com os nutrientes de que necessitam.

    A respiração consciente, lenta e profunda constitui a maior automassagem que existe. Quando inspiramos, enchemos nossos órgãos internos com sangue e energia e na expiração, esse sangue e energia renovados entram na nossa circulação sanguínea e energética beneficiando todo nosso organismo. Além de trazer uma sensação de calma, paz e quietude interior.

    Para que façamos estas Três Correções Intencionais, temos que usar a mente e a consciência. Se não prestarmos atenção ao que estivermos fazendo, seja num movimento numa aula de Tai Chi, numa prática de automassagem, ou numa prática de Qi Gong não teremos êxito. Estes movimentos, respirações, sequências de automassagem não envolvem o uso de força. Quanto mais devagar for o movimento, maior é o fluxo de Qi que gera. E, por sua vez, maior concentração exige do praticante.

    Neste momento da prática, pelo menos, a pessoa para de pensar um pouco nos seus problemas, nas contas a pagar, na vida mundana e entra em contato com o aqui e agora, ou seja, o momento presente. E com isso, a mente relaxa, o cérebro descansa, a energia se renova. A tensão restringe o fluxo do Qi. A calma que vem como resultado das práticas, libera as tensões musculares, fazendo com que a energia flua livre pelos nossos canais e meridianos. 

    A Medicina Tradicional Chinesa afirma que ” a doença é o corpo abandonado, inerte e a mente dispersa. Remoendo problemas do passado ou angustiada com o futuro e o corpo abandonado” e que “para recuperar a saúde é preciso fortalecer o corpo com o Qi Gong, os exercícios chineses e automassagem. E concentrar a mente, pelo Qi Gong, respiração e meditação a fim de que a mente fique no aqui e agora”.

    Com a prática constante do Qi Gong a pessoa entra, progressivamente no que se chama “estado mental de Qi Gong”, uma sensação sutil de um fluxo, um calor, uma paz mental. Quanto mais alguém pratica esta correção intencional, mais fácil fica entrar neste estado. Com isso, adentra num mundo da paz interior e  cada vez mais em contato consigo mesmo. A respiração abdominal  é uma prática que permite isso. Podemos ficar um tempo vivos sem água e comida. Mas se ficarmos sem respirar em poucos minutos morremos.

    A respiração consciente, lenta e profunda libera do corpo as toxinas do organismo, revitaliza e supre de sangue, energia e nutrientes todos os nossos órgãos. Pessoas com problemas cardíacos e hipertensos devem consultar seu médico antes de fazê-la. Temos à nossa disposição este remédio interior 24 horas por dia. E só nós podemos produzi-lo por um ato de vontade. O Qi.

    Como conservar este estado? A única maneira de conservar este estado de harmonia é sempre que lembrarmos repetirmos essa prática de ajustar nossa postura, respirar com consciência ,de forma relaxada, pela boca ou pelo nariz, lentamente, e procuramos sentir esse estado dentro de nós.

    E nos fazermos algumas perguntas: o que esta prática me traz? estou me sentindo mais leve? minha mente está mais serena? Caso alguma resposta a estas perguntas for afirmativa porque não se dar este chance?

    A prática da correção intencional da respiração sempre que tiver tempo, quer seja por 15 segundos, 2 minutos ou 1 vez a cada hora fará com que a pessoa fique mais centrada, serena e produza melhor seja qual for a sua atividade.

    Para quem não leu o post da respiração abdominal repetirei aqui. Procure ficar numa postura em que sua coluna fique ereta, ou, alternativamente, faça deitado. Caso faça numa cadeira, é importante que seus pés possam encostar no chão e que tenha um apoio apropriado para a coluna para que não fique numa postura curvada. Se a cadeira não oferecer um encosto apropriado, sente-se mais na ponta da cadeira e mantenha a coluna ereta. Imagine um fio imaginário no alto de sua cabeça que o liga ao Céu. Isso fará com que sua coluna se alongue e fique ereta. Inspirando pelo nariz, amplie o abdomen, lentamente, de forma relaxada. Segure por dois ou três segundos. Expire pelo nariz ou pela boca se for mais confortável, contraindo o abdomen, soltando o ar aos poucos e bem devagar. Repita por 15 segundos , 2 minutos até 5 minutos. Não force a respiração, pois a tensão restringe o fluxo do Qi. Respeite seus limites e evolua progressivamente.

                                       Sérgio Pinheiro Paffer.

    ©Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou integral    do texto sem o consentimento do autor.


     Foto: Reprodução.

    Bibliografia consultada: A Promessa de Cura do Qi. Roger Jahnke.

     EditoraCultrix.

    Chi Kung (Qi Gong) para a saúde e a vitalidade. Wong Kiew

    Kit. Editora Pensamento.

    O Caminho da Energia. Mestre Lam Kam Chuen. Editora

    Manole.

    Automassagem e Medicina Chinesa . Marcos Freire

    Júnior. Editora Mauad.

.

Qi Gong

  Este ideograma acima descreve o Qi Gong, que também é chamado de Chi Kung e pronunciado como ´tchi Kun`. Qi  significa energia e Qong significa ativade ou cultivo. Assim sendo, Qi Gong pode ser entendido como exercícios de energia.

  O Qi Gong faz parte da Medicina Tradicional Chinesa, assim como a  acupuntura, a automassagem e a massoterapia chinesa, entre outras divisões. O objetivo desta prática é elevar, cultivar a energia no praticante assim como tratar desequilíbrios em seu sistema energético, os meridianos . Nestes se encontram os famosos pontos de acupuntura. Atua na prevenção e tratamento das patologias, trazendo inúmeros benefícios, como redução do estresse, melhora na coordenação motora, postura, fortalecimento das articulações e do corpo em geral, clareza e paz mental.

  Divide-se em três categorias:

  1) Qi Gong marcial – Este coloca ênfase no cultivo e fluxo da energia Qi na prática das artes marciais. Procura dar uma base a fim de fortalecer o Qi do praticante para que se recupere mais rápido e evite lesões, aumente seus reflexos, de forma a complementar os treinamentos focados na luta.

  2) Qi Gong terapêutico – Esta modalidade visa à prevenção e tratamento das doenças, bem como o fortalecimento da saúde dos praticantes. Sua atuação abrange o fortalecimento e equilíbrio do corpo, da mente e das emoções.

  3) Qi Gong espiritual – Visa ao alcance da iluminação e elevação do indivíduo para que atinja níveis superiores de consciência.

  Existem vários tipos de Qi Gong. Antigamente sua prática ficava restrita aos círculos familiares ou a alguns discípulos que eram criteriosamente selecionados. Hoje em dia, principalmente, com o período de abertura na China, está ocorrendo um resgate das práticas tradicionais. Até por conta do grande contingente populacional e a dificuldade de levar assistência médica a áreas distantes das metrópoles, o seu ensino à população tem sido estimulado pelo Governo.

  Outro fator a ser destacado é a inúmera quantidade de pesquisas feitas na China e em outros países sobre a grande eficácia do Qi gong na prevenção e tratamento dos diversos distúrbios de saúde que  atingem a população. Neste sentido, o Qi Gong terapêutico tem tido uma boa aceitação nos países ocidentais e sua prática já tem se tornado uma realidade concreta, pela vinda de vários mestres que vieram da China divulgando e ensinado esta valiosa ferramenta de harmonização da Medicina Tradicional Chinesa.

  O Qi Gong emprega como meios para alcançar um fluxo harmonioso de Qi a respiração consciente, a visualização e o movimento consciente. Dependendo da modalidade do Qi Gong, utilizam-se também meditações ativas (com movimentos corporais) ou passivas (com o uso de posturas imóveis). Quanto mais lento for o movimento, maior fluxo de Qi ele irá gerar.

  Por esse motivo o Qi Gong permite que pessoas idosas, e até com comprometimentos mais sérios na saúde possam praticá-lo pois em sua prática os movimentos não precisam de força, mas sim de consciência. O praticante quando finaliza sua execução sente-se revigorado e com mais energia. Ao contrário dos exercícios ocidentais que, com o tempo, demandam um grande gasto energético e restringem sua adesão por pessoas idosas ou com problemas mais sérios de saúde.

  No próximo post vamos descrever mais aspectos do Qi Gong.   Abraços.

                                 Sérgio Pinheiro Paffer.

©Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial deste texto sem o consentimento do autor. É permitido o compartilhamento desde que citada a fonte.

Foto: Reprodução.

Meridianos da acupuntura,contra-indicações da automassagem.

mapas dos meridianos

   Os meridianos são como “estações” por onde a energia Qi (diz-se tchi) flui. Os pontos de acupuntura que são os mesmos pontos usados na automassagem e na massoterapia Do-in são locais onde esta energia se concentra. Os chineses descobriram há 5000 anos que acessando determinados pontos em nosso maior órgão, que ocupa 70% do nosso corpo, a pele, é possível atuar sobre a saúde de todo o organismo. Tratando e prevenindo as mais diversas patologias.

   Para isso desenvolveram variadas técnicas, como a manipulação desses pontos através do toque ,na automassagem, ou na massoterapia (massos=massagem, terapia=tratamento) em outra pessoa. Pela ativação destes pontos é possível equilibrar o fluxo de energia nos meridianos e causar um efeito nos órgãos internos, conduzindo o indivíduo a um estado de equilíbrio energético, tratando os mais variados distúrbios.

  A automassagem é uma maneira simples, eficaz de melhorar e manter a saúde. Seu uso não requer nenhum aparelho específico ,somente o uso das mãos. Promove o equilíbrio energético do indivíduo e, como consequência, a saúde e o bem estar. Há de se salientar que a automassagem tem contra-indicações. Ela não é uma panacéia, milagre. Ela é uma forma de auto-cuidado cuja eficácia já foi comprovada pelo tempo e hoje em dia sua prática está espalhada por todo o planeta.

Deve ser realizada, acompanhada de uma conscientização respiratória, com a postura ereta, a fim de que os órgãos fiquem corretamente alinhados, e a conexão com a energia da Terra fique ativada e de maneira relaxada, para que a energia flua sem tensões.

CONTRA-INDICAÇÕES DA AUTOMASSAGEM:

Os seguintes estados limitam ou mesmo impedem a realização da massagem:

-fome excessiva ou empanturramento alimentar;

-doenças infecciosas agudas, como difteria, febre tifoide , cólera , etc ;

- doenças de pele no local do ponto de massagem;

- tumores, particularmente na área de um tumor maligno;

- debilidade acentuada;

- tuberculose na coluna ou ossos;

- fratura na coluna ou ossos;

- fratura incurada;

- artrite aguda;

- menstruação normal (pontos BP 6 e IG 4)

- gravidez (pontos no abdômen e BP 6, IG 4, E 36, VB 21, B 60)

- veias com trombose.

Fonte:  “Automassagem e Medicina Chinesa.”

Autor: Marcos Freire Júnior.

Sérgio Paffer.

©Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução ou cópia do texto sem a autorização expressa do autor. É livre o compartilhamento desde que citada a fonte.

Imagem: Reprodução.

                                                       

Dicas de automassagem chinesa.

Olá amigos leitores. Tive o prazer de ser entrevistado pelo Programa Pé na Rua,da TV Pernambuco. Nesta entrevista fiz uma breve explanação com dicas de algumas técnicas de automassagem para melhorar o dia a dia, recuperar-nos do stress, e ativar a nossa energia interior, o Qi (diz-se tchi) a nosso favor.

Porque a automassagem chinesa é muito simples, prática e direta.Tenho muitos agradecimentos a fazer por esta oportunidade de mostrar de uma forma mais interativa o meu trabalho.

Agradeço primeiro a Deus, ao Universo, por me darem o dom da vida e pela oportunidade de ter estudado, vivenciado e ajudado com estes ensinamentos outras pessoas, bem como a mim mesmo. Agradeço em especial ao meu professor e Mestre Dr.Marcos Freire Júnior, com quem fiz toda minha formação em automassagem chinesa, por tudo o que me passou, por ter acreditado em mim e pelo bem mais precioso: a sua amizade.

Agradeço à equipe do Programa Pé na Rua, a Ivan Moraes, à equipe de filmagem por todo o respeito e atenção com que fui tratado e  à TV pernambuco pela oportunidade de mostrar a um público maior o trabalho que desenvolvo. Aprendi com meu  professor que somos apenas veículos deste conhecimento  integrante da Medicina Tradicional Chinesa  há uns 5000 anos.

Meu muito obrigado  a todos os amigos de perto e de longe que sempre me incentivaram. Tudo isto me fortalece e me faz seguir em frente.
Como se diz na própria China “que uma imagem vale mais que mil palavras”  deixo vocês agora com  o vídeo. Espero que todos possam se beneficiar. Abraços de luz.

Sérgio  Pinheiro Paffer.