O auto-acolhimento

auto-acolhimento_thumb

  Do rico acervo de trocas  que tive com minha amiga Ana Saad, atriz, roteirista, diretora, produtora de cinema e proprietária do site http://www.pensamentosfilmados.com.br            trago mais um  comentário que fiz sobre um dos seus posts.  Nele, a Ana falava como tem superado coisas do      passado, e até que o processo de uma depressão tornou-a uma pessoa mais humana, compassiva. Que antes de manifestar tal desafio levava uma vida auto-destrutiva.     Sigo o seguinte pensamento em relação aos revezes, problemas, doenças que todos enfrentamos ou iremos enfrentar ao longo de nossas vidas: “o sofrimento não é bom e nem mau. Ele é funcional” (luiz Gasparetto). Somos seres complexos, feitos de luz e sombras. Todos temos um lado sadio e um lado doentio, até as pessoas ditas “saudáveis”, “normais”    Não vejo o sofrimento como carma, punição divina, castigo ou a vontade de Deus. Acredito que somos seres espirituais que vivenciam uma experiência humana. Sendo assim, lembrando da filosofia taoísta, da qual sou grande admirador, vem à mente   que o ideograma chinês que representa a palavra crise também é usado pra descrever a palavra oportunidade.     Isso me faz pensar, então, que as crises, os desafios diários, sejam de que ordem, constituem para nós uma oportunidade de auto-acolhimento e auto-superação. Tudo vai depender do foco que dermos. Se vamos direcionar e dedicar a nossa energia para nossos problemas ou usaremos nossa criatividade e Luz interior  para as soluções  Eis o comentário e espero que todos tenham uma boa leitura. Muita paz.                                                 ”  A     cada dia que passa mais admiro você e sua jornada.  Você é um ser humano de coragem e transparência ímpar, uma jóia rara. Eu tenho aprendido muito com você. Só posso dizer uma palavra que é simples mas resume o que estou sentindo: obrigado. Muito obrigado.

 Que o Universo, Deus, as Forças Positivas da Vida sempre te amparem para você manter e reforçar o seu auto-amparo.Tenho dito a meus clientes e amigos que desabafam comigo: “é preciso que a gente se adote”. “É preciso que a gente se acolha e se dê amor”. Porque por mais que queiramos buscar isso na nossa família, amigos, companheiro(a)s, a única pessoa que vai passar a eternidade conosco, somos nós mesmos. E esta é a nossa principal relação que precisamos desenvolver da forma mais saudável que nos for possível. Pois todos os outros na nossa vida serão efêmeros. Um dia nossos pais morrerão, relações podem ser desfeitas e amigos podem , por várias razões, trilhar caminhos diferentes. Não com isso queira dizer que não precisamos do amor dessas pessoas, ao contrário, todos precisamos receber e dar afeto. É a nossa nutrição afetiva, tão importante quanto a nutrição do alimento.      Porém, basear a nossa vida na dependência do outro, é abrir mão do nosso poder pessoal de nos auto-gerir ,de estarmos bem por fazermos e agirmos de uma forma que nos deixe felizes.

  Acho que  através do outro, encontramos companheiros de viagem nessa estada aqui nesse plano. Então, se encontrarmos a harmonia com nós mesmos, teremos a nossa autonomia afetiva e emocional para que nossas relações com os outros sejam mais maduras. Porque frases do tipo “eu vou fazer você a pessoa mais feliz do mundo”, “quando eu me casar eu vou ser feliz”, para mim soam como acreditar em papai noel. Uma doce ilusão e um grande engano.

  Quem pode nos fazer felizes somos nós mesmos, quando buscamos a felicidade e fazemos por onde ser felizes. Qual é a pessoa que mais conhece nossas necessidades,desejos, defeitos e aspirações? Somos nós, através da nossa Alma. Somos seres únicos e respeitar nossa individualidade é um ato de saúde.

  Esperar que uma outra pessoa, circunstâncias externas muitas vezes inalcançáveis  e irreais como “vou ser feliz quando eu arrumar aquele emprego, aquele companheiro(a), ficar magro, ficar em forma”  é um ato de profunda auto-sabotagem. Agir assim é gerar uma situação quase parasita para com essa pessoa. O outro, por mais que nos ame e o amemos de volta, é o outro. Podemos compartilhar afetos, carinhos, vivências, ter uma vida sexual plena e prazerosa, mas no final voltamos pra nós mesmos.

  As demais pessoas na nossa vida agem de acordo com sua personalidade, nível de entendimento, visão de vida, que pode não ser igual à nossa. Quando queremos nos moldar ao outro, ou querer que esse outro seja aquilo que queremos, ocorre uma despersonalização. Não podemos abrir mão de quem nós somos para ficar numa relação que nos “ampare” como uma muleta.

  Podemos e precisamos fazer concessões, negociar aqui e ali, mas nada que agrida à nossa essência. Pois nossa essência, nossa Alma é o nosso Eu verdadeiro. Essa conexão  tão importante, no meu humilde ponto de vista, é fundamental. Até para nos conectarmos de verdade com alguém.

  Não sei se consegui expressar o que senti, as palavras nem sempre o conseguem, mas fiz o meu melhor. Parabéns Ana, pelo olhar maduro diante do teu passado e da sabedoria  adquirida. “As perdas nunca são totais”. Um grande abraço.

                           Sérgio Pinheiro Paffer.

                    ©Todos os direitos reservados.

                        Imagens: reprodução.

                                     

Anúncios

6 respostas em “O auto-acolhimento

  1. sergito!
    querido amo seus textos e fico mto feliz q vc tenha feito esse blog pra compartilha-los! varios emails que trocamos, seus textos são de uma riqueza extraordinaria!
    admiro mto vc!
    e vou postar seu post no meu blog, com sua permissão!
    valeu querido e obrigada por existir!
    bjoka

    Curtir

    • Muito obrigado Ana por gostar dos meus textos.Vindo de uma pessoa que escreve tão bem como vc,me deixa lisonjeado.Nossa admiração é mútua.Tens idéia do quanto que cresci depois que começou a nossa troca de idéias,experiências?Muito!E se não fosse vc,esse blog não existiria.E aqui vc não pede,VOCÊ MANDA!KKKKK.Permissão mais do que concedida.Beijoka.

      Curtir

  2. O acesso foi fundamental, de extrema ajuda e compreensão para a temporada que atravesso, agora com mais otimismo e razões.
    Agradeço antecipadamente, farei uso constantemente das utilíssimas lições, muito obrigado.

    Curtir

    • Muito obrigado Antenor.Agradeço seus elogios e faço votos que qualquer que seja o desafio que enfrentas que invoques sempre teus recursos interiores e do Universo.Pois estamos todos conectados.
      Exercer essa consciência é um gesto de saúde e desejo do fundo do coração muita força e Luz nos teus caminhos.Fico muito feliz que essas palavras tenham te tocado.Um grande abraço e seja sempre muito bem vindo.

      Curtir

    • Muito obrigado pelas palavras gentis.Fico muito feliz que o texto tenha lhe trazido algo.A permissão está dada e com certeza vou visitar o seu blog.Pois foi através da troca de experiências,principalmente com a Ana, que eu evoluí muito e começou a surgir o desejo de dividir meus pensamentos,e mostrar ao público de uma forma clara,desmistificada, o que são as terapias integrativas,bem como dividir as reflexões que tenho feito desde o 1. contato com a Ana.Todos são muito bem vindos.Um abraço.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s