Fluidez

Reiki

 Algo que o tempo oferece é uma nova visão sobre a vida, valores e referências. A vida, em sua eterna dinâmica, com ganhos e perdas diários em todos os aspectos que vivenciamos, seja na família, no trabalho e nas nossas relações sociais, vai formando um rico patrimônio: a soma de todas as nossas experiências.

  Tendemos a rotular o que nos acontece como sendo circunstâncias, eventos, e fatos   “bons” ou “maus”. Isso irá variar de acordo com os referencias de cada pessoa, seu momento e seu nível de entendimento.

  Um aprendizado que tem me sido muito salutar é exercitar um olhar para mim mesmo e para a vida de observação. É o famoso “deixar fluir”, “não apressar o rio”, muito empregado pelos ensinamentos tanto de Mestres do Oriente como do Ocidente.

  Inclusive esta postura de não julgar o que nos acontece, é muito utilizada nas mais diversas práticas meditativas. Isso é feito com o intuito de prestarmos atenção ao momento presente, a focar no aqui e agora. Esta perspectiva gera em nós uma harmonia interior.

  Podemos a partir da prática da meditação, do Reiki, da respiração consciente, exercitar este importante meio de auto-observação. Ao nos aplicarmos Reiki, fazermos uma respiração profunda, e até um exercício de alongamento podemos notar como estamos. E a partir daí fazermos uma auto-análise.

  Nossa respiração está rápida? Onde o nosso corpo está tenso? Que pensamentos povoam nossa esfera mental agora? Então, através da canalização do Reiki, meditação, respiração consciente, pela realização de um alongamento, podemos nos presentear com uma respiração mais leve e assim gerar em nós um esvaziamento daquilo que está pesando.

  E através dessa conexão com a respiração, com a energia Reiki ou por um relaxamento muscular podemos deliberadamente gerar em nós uma parada estratégica.

 Voltamos para dentro de nós onde há uma fonte de sabedoria e cultivamos a paz interior. E quando abrirmos nossos olhos estaremos num estado melhor. Um estado de tranquilidade. Poderemos fazer nossas atividades de uma forma mais solta , mais centrada e presente.

  O bem estar que vamos colher depende diretamente da nossa dedicação a qualquer uma dessas práticas, conforme identificação, sintonia e experiência.

  Quanto mais exercitamos aquilo que nos faz bem, por mais tempo essa harmonia permanecerá conosco. Ocorre um efeito cumulativo. As dificuldades e desafios fazem parte da existência. Mas podemos tornar esta estrada mais leve, utilizando todas essas ferramentas que nos conectam com a nossa Essência e acalmam nossa mente.

  Como resultado final, ficaremos mais relaxados em todos os aspectos: físico, mental e espiritual. E sem surpresa, já que nos permitimos, tudo fica mais leve porque nós estamos mais leves. Então que façamos um convite à leveza, abrindo espaço dentro de nós para que ela flua.

                                                           Abraços.

                                                      © Sérgio Paffer.

                                          Todos os direitos reservados.

                                           Imagens: Reprodução.

               

Meditação em um instante.

Assistindo ao Youtube, vi um vídeo muito legal que ensina como fazer a meditação em um instante. É muito bem feito, simples e direto.

Já abordamos o quanto é preciso cuidar da saúde mental e do pensamento e inúmeros são os benefícios da prática meditativa.

Esta prática sugerida é simples, não se pode alegar a famosa “falta de tempo” pois só leva um minuto. Pela meditação saímos do piloto automático do dia a dia e nos permitimos naquele momento de prática dar uma parada, reabastecendo nossos níveis de energia e uma maior oxigenação no corpo beneficiando a saúde em vários sentidos. Além disso torna-se possível fazermos a conexão com nós mesmos. A respiração é a maior automassagem que existe. Toda nosso metabolismo é beneficiado pela prática da respiração lenta e consciente.

Sem mais delongas deixo os leitores com o vídeo, desejando uma boa prática e que saibamos sempre acessar o nosso remédio interior, o nosso Qi, através deste ato tão simples, mas tão poderoso que é a respiração consciente. Pode-se repetir este processo uma vez a cada hora, na fila de um ônibus, banco,etc. Permita-se fazer o bem a si mesmo. Se repetirmos a prática sugerida ao longo do dia estaremos mais presentes, centrados e com certeza mais saudáveis. Boa prática. Abraços a todos.
Sérgio Paffer.
©Todos os direitos reservados.
Vídeo: Youtube.

Mudanças sociais.

pomba
    Diante de muitos fatos do dia a dia observamos situações de injustiça, descaso de autoridades para com a população. Frente a estas situações o que poderia ser feito para realizar uma mudança para que a sociedade seja mais justa, digna e respeitosa para todos?
   Penso eu que sejam necessárias várias reformas, mas sobretudo uma reforma interior. Porque a forma como as pessoas se relacionam com o seu semelhante é um reflexo da forma como elas se relacionam consigo mesmas. Muitos se deixam levar pelo ódio devido às agressões sofridas e terminam perpetuando um ciclo de agressões que não tem fim, que pode começar com uma agressão consigo mesmos e, posteriormente, com os outros.
  A grande revolução do momento é a mudança de consciência, é fazer a opção pelo amor, pela paz, pela tolerância. Isso não quer dizer como talvez pensem alguns que ser pacífico e amoroso signifique ser um alienado. Ao contrário. Quando estamos em paz, conectados com nós mesmos é possível ver as situações sobre o prisma da calma, e isto muda tudo. A calma traz clareza e foco.
  Porque o caos só pode gerar mais caos. O ódio não poderá dissolver o ódio. Somente o amor pode dissolver o ódio, assim como somente a Luz pode anular as trevas e o conhecimento pode eliminar ou diminuir a ignorância.
  A mudança começa a partir de nós. Se acreditarmos que a justiça pode se  materializar, de alguma maneira, o Universo corresponderá. Sabemos que não há “vítimas”, mas, se estamos neste plano um dia poderemos também passar por situações assim. E a solidariedade tem uma força poderosa. Mas que a força que nos mova não seja o rancor pelas ofensas que nós ou nossos entes queridos tivermos sofrido, mas sim que a força que nos mova seja o AMOR pela justiça, respeito e dignidade. Todos nós fazemos a sociedade. Se quisermos melhorá-la, acredito, humildemente, respeitando as demais opiniões, que a tomada de consciência que somos seres não separados e evitar pensamentos como “não é problema meu”, “o mundo não presta mesmo”, irá ajudar. Vamos acreditar sim que o mundo pode ser melhor e denunciar as injustiças, não movidos pelo ódio, mas pelo amor ao bem comum. Penso que levar ao grande público o acesso a ferramentas simples, mas extremamente poderosas para mudança interior seja uma forma de desatar os nós individuais e sociais. Assim sendo, a disseminação de uma cultura de paz e de práticas integrativas como a meditação, o Yoga, a automassagem chinesa, o Reiki e muitas outras,possa ajudar a dar este pulo do gato neste dias tão conflituosos. Melhorando o indivíduo, melhora-se a sociedade, que é um espelho do mesmo.
  Afinal, somos filhos e filhas de um mesmo Pai, não importa se você o chama Alá, Deus, Tupan, o Todo, a essência é a mesma. Se pensarmos que o sofrimento de um é o sofrimento de todos e que o sofrimento de todos é o sofrimento de um, exercer a compaixão será algo natural e seremos pessoas melhores e faremos o mundo melhor.
                                                        Sérgio Paffer.
                                             ©Todos os direitos reservados.
                                         Proibida a reprodução do texto sem
                                          autorização do autor. Permitido o com
                                        compartilhamento desde que citada a fonte.
                                                  Imagens: Reprodução.

Qi Gong

  Este ideograma acima descreve o Qi Gong, que também é chamado de Chi Kung e pronunciado como ´tchi Kun`. Qi  significa energia e Qong significa ativade ou cultivo. Assim sendo, Qi Gong pode ser entendido como exercícios de energia.

  O Qi Gong faz parte da Medicina Tradicional Chinesa, assim como a  acupuntura, a automassagem e a massoterapia chinesa, entre outras divisões. O objetivo desta prática é elevar, cultivar a energia no praticante assim como tratar desequilíbrios em seu sistema energético, os meridianos . Nestes se encontram os famosos pontos de acupuntura. Atua na prevenção e tratamento das patologias, trazendo inúmeros benefícios, como redução do estresse, melhora na coordenação motora, postura, fortalecimento das articulações e do corpo em geral, clareza e paz mental.

  Divide-se em três categorias:

  1) Qi Gong marcial –  Coloca ênfase no cultivo e fluxo da energia Qi na prática das artes marciais. Procura dar uma base a fim de fortalecer o Qi do praticante para que se recupere mais rápido e evite lesões, aumente seus reflexos, de forma a complementar os treinamentos focados na luta.

  2) Qi Gong terapêutico – Esta modalidade visa à prevenção e tratamento das doenças, bem como o fortalecimento da saúde dos praticantes. Sua atuação abrange o fortalecimento e equilíbrio do corpo, da mente e das emoções.

  3) Qi Gong espiritual – Visa ao alcance da iluminação e elevação do indivíduo para que atinja níveis superiores de consciência.

  Existem vários tipos de Qi Gong. Antigamente sua prática ficava restrita aos círculos familiares ou a alguns discípulos que eram criteriosamente selecionados. Hoje em dia, principalmente, com o período de abertura na China, está ocorrendo um resgate das práticas tradicionais. Até por conta do grande contingente populacional e a dificuldade de levar assistência médica a áreas distantes das metrópoles, o seu ensino à população tem sido estimulado pelo Governo.

  Outro fator a ser destacado é a inúmera quantidade de pesquisas feitas na China e em outros países sobre a grande eficácia do Qi gong na prevenção e tratamento dos diversos distúrbios de saúde que  atingem a população. Neste sentido, o Qi Gong terapêutico tem tido uma boa aceitação nos países ocidentais e sua prática já tem se tornado uma realidade concreta, pela vinda de vários mestres que vieram da China divulgando e ensinado esta valiosa ferramenta de harmonização da Medicina Tradicional Chinesa.

  O Qi Gong emprega como meios para alcançar um fluxo harmonioso de Qi a respiração consciente, a visualização e o movimento consciente. Dependendo da modalidade do Qi Gong, utilizam-se também meditações ativas (com movimentos corporais) ou passivas (com o uso de posturas imóveis). Quanto mais lento for o movimento, maior fluxo de Qi ele irá gerar.

  Por esse motivo o Qi Gong permite que pessoas idosas, e até com comprometimentos mais sérios na saúde possam praticá-lo pois em sua prática os movimentos não precisam de força, mas sim de consciência. O praticante quando finaliza sua execução sente-se revigorado e com mais energia.  Esta prática chinesa atua de forma diferente dos exercícios ocidentais tradicionais que, com o tempo, demandam um grande gasto energético e restringem sua adesão por pessoas idosas ou com problemas mais sérios de saúde.

  No próximo post vamos descrever mais aspectos do Qi Gong.   Abraços.

                                 Sérgio Pinheiro Paffer.

                          ©Todos os direitos reservados.

                                       Foto: Reprodução.

Atitudes

meditação,respiração consciente

“ Muitas vezes não fazer nada perante as situações da vida com que nos deparamos é fazer tudo. Outras vezes fazer tudo (pelo menos no que concebemos ser tudo naquele momento) é fazer nada. Isso só a maturidade poderá nos revelar. Mas há um grande professor disponível 24 horas por dia a nos guiar: o silêncio. Sim, o silêncio é sábio, reflete nossa essência, nossa alma. A questão é que geralmente estamos tão inquietos que não conseguimos ouvi-lo. Para atingir esse estado temos a respiração consciente, a meditação, a contemplação e a oração para aqueles que se dispuserem a tanto. Quando nos aquietamos interiormente, calamos a nossa tagarelice. Um novo mundo se descortina à nossa frente: o mundo interior. Feche os olhos, respire calma e profundamente, sinta o ar penetrando pela inspiração e se espalhando na expiração e como o seu corpo muda em cada um destes momentos. Abra mão do controle, entre em contato com você mesmo, deixe fluir. Que a cada respiração você se unifique e se permita conectar-se com sua paz. Dê uma chance a você mesmo.”
                                Sérgio Paffer

                   ©Todos os direitos reservados.

       Proibida a reprodução do conteúdo sem a permissão do autor. É permitido e desejável o compartilhamento desde que citada a fonte.

Foto: Reprodução.